DotA 2 e as diferentes maneiras de interação com a comunidade

Todo mundo está jogando o beta de Defense of Ancients 2, agora produzido pela grande Valve e só Gaben sabe quando o game irá sair.

Recentemente no podcast Seven Day Cooldown, Gabe Newell declarou que DotA 2 usará uma forma diferente de distribuição. Ele diz que o grupo de desenvolvimento está lutando em uma forma de condecorar aquele jogador que sempre contribui com a comunidade.

“Estamos procurando caminhos para que pessoas mais reconhecidas que as outras seja reconhecidas e premiadas. Todos nós conhecemos que se eles estão jogando nós queremos jogar e há outras pessoas em que caso estejam jogando, estão do outro lado do planeta.”

Gabe continua dizendo que a questão é criar mecanismos que reconheçam e deem prêmios para jogadores que estão fazendo algo que seja valioso para outro grupo de jogadores. Aqueles que criam bons guias e servem de professores para novos jogadores, seriam exemplos de contribuições para a comunidade. Para ele, não existe outro modelo estilo Free-to-Play que se adeque ao que a Valve quer fazer em DotA 2.

Esse sistema não seria restrito apenas para o DotA, segundo Gabe, ele quer expandir para outros jogos como o Team Fortress 2, cuja a base de fãs contribui bastante com novos conteúdos para o game.

Quando perguntado sobre a transformação da/do Steam em uma rede social, Newell nega e diz que não no sentido literal da palavra. “A maioria das vezes em que alguém pergunta isso, geralmente tem uma imagem que não se adequa a aquilo em que temos em mente. Por isso quando alguém fala sobre Rede Sociais, associam logo ao Facebook”, disse ele.

“Se eu tivesse que falar em um modelo, seria mais sobre como os jogadores podem se beneficiar através de uma ação coletiva de outros jogadores e as diferentes maneiras que isso pode ocorrer, seja de algo que pareça notificações de rede sociais de um valor maior. Até aonde eu sei, o Facebook não tem essa habilidade para pessoas fundamentalmente modificar ou editar a experiência da rede social.”

É por isso que atualmente a Valve é uma das empresas mais adoradas. Em qualquer momento eles querem experimentar coisas novas e sempre dão feedback para a comunidade, assim conseguem fazer jogos tão inteligentes e divertidos. Só uma empresa como ela poderia “inovar” em um sistema free-to-play e em nenhum momento prejudicar o jogador.

No caso, o jogador é o mais beneficiado.

(Via TheVerge)

Ives Aguiar

Gosta desse joguinhos estilo video game desde a geração PSX e é da geração Leite com Pêra. Bloga nesse site bacanudo com a missão de algum dia ser um jornalista de joguinhos. Quem sabe um dia?



Notícias e Posts Relacionados